O Programa > Docentes > Projetos de Alexandra Garcia Lima               < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

DIÁLOGOS ESCOLAS-UNIVERSIDADE: PROCESSOS DE FORMAÇÃO DOCENTE E A PRODUÇÃO DOS CURRÍCULOS NOS COTIDIANOS

PERÍODO:

2017 - 2020

LINHA DE PESQUISA

Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Diálogos Escolas-Universidade: Processos formativos, currículos e cotidianos..

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ; UERJ: CNPq

O grupo encontra-se estruturado desde 2011 através de projetos de pesquisa, iniciação docência e articulação e extensão que originam: dissertação de mestrado, pesquisas de doutorado e produções bibliografias em torno de: estudos dos currículos, políticas e processos formativos, culturas e cotidiano dos diversos 'espaçostempos' educativos, em especial as escolas. Conta com a interlocução entre pesquisadores e instituições de ensino superior e educação básica, constituindo-se em espaço de diálogos escolas-universidades. Os objetivos do grupo são: Evidenciar e discutir os conhecimentos, valores e sentidos de docência e escola tecidos nos processos formativos; desenvolver e estudar processos que nos currículos favoreçam a desconstrução e ressignificação das representações e a produção solidária de saberes docentes na produção cotidiana dos currículos; buscar compreender os espaços e ações formativas que podem contribuir para intensificar e ampliar os diálogos Universidade-escola como política de formação docente.
O atual Projeto "DIÁLOGOS ESCOLAS-UNIVERSIDADE: PROCESSOS DE FORMAÇÃO DOCENTE E A PRODUÇÃO DOS CURRÍCULOS NOS COTIDIANOS", desenvolve-se na área de currículo, cotidiano e formação de professores. Entende o cotidiano e as experiências vividas como centrais para o estudo dos processos e múltiplos contextos com os quais nos tornamos professores. São objetivos desse projeto investigar processos formativos e experiências em Formação docente que articulem escolas e universidade e apontem caminhos para desconstruir representações demeritórias sobre escola e docência. A partir da articulação entre o projeto de extensão em andamento e os resultados da primeira da pesquisa, pretende-se levantar experiências com processos formativos que articulem os saberes da universidade e outros espaços sociais educativos de atuação docente, sobretudo as escolas, buscando propostas que operem princípios de horizontalidade, dialogicidade e de produção mais coletiva e solidária dos saberes. Visa produzir conhecimentos que contribuam para a formação de professores para a justiça social, produzindo caminhos teóricos-metodológicos com os currículos para aprendizagens mais coletivas e solidárias diante das imprevisibilidades, heterogeneidades e complexidade dos cotidianos escolares. Dentre os métodos priorizados para o desenvolvimento da pesquisa, adotamos estratégias de estudo e intervenção que incluem rodas de conversa que priorizam as redes de produção de saberes entre os professores. Entendemos que o estudo das narrativas produzidas nas conversas com alunos e professores contribui para a desinvisibilização das invenções das práticas e sentidos de docência. Para tanto, temos trabalhado em diálogo com as noções de singularidade (NEGRI, 2003), sentido e presença (GUMBRECHT, 2010) e e as reflexões sobre o pensamento abissal e a ecologia dos saberes (SANTOS, 2010).