O Programa > Docentes > Projetos de Maria de Lourdes Rangel Tura               < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

Políticas Curriculares e os desafios à educação pública municipal

PERÍODO:

2013 - 2017

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

FINANCIAMENTO(S)

PROCAD - CAPES

Políticas Curriculares e os Desafios à Educação Pública Municipal

Este projeto de pesquisa intenta investigar o discurso produzido nos espaços da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro (SME/RJ) e o que circula entre professores/as sobre as novas propostas curriculares da SME/RJ. Sendo assim, pretende estar articulando dimensões macro e microssociais daquilo que tem envolvido a construção das novas políticas curriculares no sistema público de ensino do município do Rio de Janeiro e as questões e os desafios que se apresentam atualmente em relação à educação pública. Na atualidade, a partir dos anos de 1990, observamos a centralidade do currículo nas políticas educacionais no mundo globalizado. Estas buscam viabilizar aquilo que tem se afirmado como as novas práticas pedagógicas, novos recursos didático-pedagógicos, novos conhecimentos e tecnologias educacionais no conjunto de saberes a serem ensinados nas escolas, assim como distinguir formas de distribuí-los – frequentemente de maneira desigual - ao conjunto de alunos e alunas. Estamos, então, pondo em destaque algo que pode ser entendido como a articulação do que está surgindo nas escolas como as novas políticas curriculares, os novos projetos educacionais propostos SME/RJ e as formas como essas vão se resignificando / recontextualizando na prática pedagógica. Ou seja, esse projeto tem por foco central a análise do que tem sido produzido como significantes que dão sentidos a essas novas propostas curriculares, de acordo com a teoria do discurso de Ernesto Laclau.

Palavras-chave: políticas curriculares, aspectos macro e microssociais das políticas curriculares, propostas curriculares e a teoria do discurso.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Políticas educacionais e o cotidiano escolar

PERÍODO:

2010 - 2012

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Políticas de currículo e cultura

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ

Esse projeto intenta investigar as formas como as novas políticas educacionais estão sendo recontextualizadas e ressignificadas no cotidiano de uma escola do município do Rio de Janeiro. Ou seja, ele se desenha como uma busca dos sentidos que envolvem as mudanças atuais no sistema educacional do município do Rio de Janeiro, assim como a observação dos movimentos de acolhida dessas novas políticas e/ou de contestações, negociações e reinterpretações, que têm sido realizadas pelos sujeitos ativos da vida escolar e que se refletem nos modos como elas se concretizam nas atividades pedagógicas e nas maneiras como isso é expresso no discurso docente e dos gestores escolares sobre o currículo e a organização da escola. O estudo terá por base um trabalho de campo de feição etnográfica e por foco as práticas pedagógicas desenvolvidas nos 6º, 7º, 8º e 9º anos do Ensino Fundamental, centrando o olhar para os modos – particulares – de realização da ação educativa e de efetivação do currículo escolar. A investigação oportunizará, também, observar os efeitos/ resultados das mudanças propostas pelas recentes políticas educacionais, tendo em vista as tradicionais demandas relacionadas à igualdade de oportunidades e à busca do sucesso escolar. A análise desse encadeamento de ações, que caracterizam a continuidade das reformas, terá como suporte teórico os trabalhos de Stephen Ball, que destaca o ciclo contínuo das políticas educacionais que se interrelacionam em contextos políticos, que se constituem em arenas de ação tanto públicas quanto privadas. São objetivos dessa investigação: verificar como os professores e professoras da escola, que será o campo de investigação, interpretam/ recontextualizam as novas políticas educacionais e propostas curriculares; examinar as relações estabelecidas entre as professoras e professores e os diversos níveis da administração da educação escolar, assim como as relações entre esses/as e o contexto de produção dos textos das políticas educacionais e o de influência; focalizar os mecanismos utilizados pelos professores e professoras para articular as suas tradições e culturas locais com o que é proposto pelas novas políticas educacionais e as formas de tradução e recontextualização dessas no currículo escolar; analisar os efeitos/ resultados das novas políticas educacionais e propostas curriculares na prática pedagógica. O campo de investigação, como se pode intuir, é vasto. A escola é um desses espaços. A administração da educação escolar outro. Há, ainda, um espaço macro do contexto de influência e de produção de textos que se entende, articula e dialoga com o fazer pedagógico, através da supervisão e do controle do trabalho docente pelos órgãos regionais e centrais da Secretaria Municipal de Educação (SME), do que está sendo veiculado pela mídia, pela SME, pelos diferentes textos que os professores/as têm acesso nas diversas oportunidades de formação continuada – promovidas pela SME, por exemplo, e por uma série de outras interlocuções em ambientes acadêmicos, comunitários, sindicais etc. Enfim, o trabalho investigativo será organizado de forma a se poder observar o impacto das novas determinações e regulamentações - que são oriundas das atuais políticas educacionais - na prática pedagógica e os processos de ressignificação e tradução, empreendidos nesse ambiente cultural. Esse parece ser um foco importante de tensões, que põem em xeque antigas formas de realizar a atividade docente e se imiscui em crenças, valores e habitus profissionais internalizados.

Palavras-chave:
Políticas Curriculares, Recontextualização das Políticas Curriculares, Trabalho Docente e Políticas Curriculares.

    

TÍTULO DA PESQUISA

O IMPACTO DAS REFORMAS CURRICULARES NA PRÁTICA PEDAGÓGICA

PERÍODO:

2006 - 2009

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Políticas de currículo e cultura

FINANCIAMENTO(S)

Bolsa Prociência FAPERJ/UERJ

As reformas curriculares que se tem observado acontecer no Brasil a partir da segunda metade dos anos de 1990 – e que estão conectadas com outras reformas curriculares realizadas em vários países do ocidente nesse período – têm-se constituído pautadas no sentido da reconfiguração do modelo de escola e da formação de um novo cidadão, que deve ser socializado no interior de um espaço pedagógico ressignificado e de uma nova cultura escolar, afinada com as novas competências, disposições e habilidades requeridas por um mercado de trabalho reformatado. Assim, tendo por balizamento o contexto sócio-político e educacional acima apresentado em traços sucintos, este projeto intenta investigar as formas como as propostas curriculares, oriundas das reformas educacionais atuais, estão sendo efetivadas e ressignificadas na prática pedagógica. Ou seja, esse projeto se desenha como uma busca dos sentidos que estão sendo construídos a partir das mudanças curriculares atuais, assim como da observação dos movimentos de acolhida dessas novas propostas e/ou de contestações, negociações e reinterpretações que têm sido realizadas pelos sujeitos ativos da vida escolar e que se refletem nos modos como se concretizam as atividades escolares e nas maneiras como isso é expresso no discurso docente sobre o currículo escolar. Detalhando mais, esse estudo terá por foco as práticas curriculares desenvolvidas no segundo segmento de uma escola de Ensino Fundamental da rede pública do município do Rio de Janeiro, centrando o olhar nas disciplinas Ciências e Matemática. Pretende-se, então, focalizar as práticas curriculares como inseridas em contextos múltiplos da ação política e social, que estão inter-relacionados e têm circulação dinâmica, de acordo com o que tem sido analisado por Stephen Ball. O campo de investigação, como se pode intuir, é vasto. A escola é um desses espaços. A administração da educação escolar outro. Há, ainda, um espaço macro que se articula e dialoga com o fazer pedagógico, através da supervisão e do controle do trabalho docente pelos órgãos regionais e centrais da Secretaria Municipal de Educação (SME), do que está sendo veiculado pela mídia, pela SME, pelos diferentes textos curriculares que os professores/as têm acesso nas diversas oportunidades de formação continuada e por uma série de outras interlocuções em ambientes acadêmicos, comunitários, sindicais etc. Para atender a esses objetivos, esse estudo irá se centrar num trabalho etnográfico e fazer aproximações com os outros espaços de produção e de controle da aplicação dos textos curriculares.
Palavras-chave: Políticas curriculares, ensino de Ciências e Matemática, cultura escolar.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Os desafios do ensinar e do aprender em um tempo de pluralidade cultural

PERÍODO:

2003 - 2006

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

FINANCIAMENTO(S)

Bolsa Prociência FAPERJ/UERJ

Este projeto de pesquisa, que se filia ao campo dos estudos culturais em educação, pretende investigar os novos desafios do ensinar e do aprender, num tempo em que o sistema educacional brasileiro vive os conflitos gerados pela aceleração das transformações sócio-culturais, num contexto sócio-politico em que a permanência de crianças e jovens no ensino fundamental é ainda bastante obstaculizada por questões que envolvem o ensinar e o aprender num ambiente sócio-cultural em que as diferenças culturais se imbricam com as diferenças de oportunidades escolares e os processos de exclusão, próprios da lógica de seletividade que organiza a sociedade brasileira. O campo de investigação é múltiplo. A escola pública de Ensino Fundamental do município do Rio de Janeiro é um deles. A administração da educação escolar outro. Há, ainda, um espaço macro da esfera civil, que será investigado pelo levantamento de notícias veiculadas em jornais cariocas de maior circulação. As professoras e os professores serão os sujeitos-centrais desta investigação, que pretende articular o ambiente escolar com outros espaços sociais que lhe são externos, para se poder indagar sobre valores, crenças, demandas e expectativas sobre o ensinar e o aprender, que se articulam numa rede de significados que são histórica e socialmente construídos. Ou seja, a questão do ensinar e do aprender será analisada em suas dimensões sociológicas e antropológicas, tendo por objetivos básicos observar junto aos sujeitos educativos as trocas culturais vivenciadas nos processos de ensinar e aprender; analisar os valores, crenças, juízos, concepções, atitudes e práticas docentes em relação à transmissão/ apropriação dos conhecimentos escolares; verificar as relações estabelecidas entre as professoras e professores e os diversos níveis de administração da educação escolar; e - num outro pólo, estendendo o olhar para o que é externo à escola - analisar o que está sendo veiculado pela imprensa sobre o ensinar e aprender no âmbito do Ensino Fundamental. Para alcançar os objetivos pretendidos, far-se-á uso de diversos procedimentos de investigação como a observação sistemática, entrevistas semi-estruturadas e em profundidade, questionário e análise de material veiculado pela imprensa carioca.