O Programa > Docentes > Projetos de Raquel Goulart Barreto               < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

Dimensões da substituição tecnológica nas políticas educacionais: o caso da Secretaria Municipal do Rio de Janeiro

PERÍODO:

2016 - 2020

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Educação e Comunicação

FINANCIAMENTO(S)

CNPq - Bolsa de Produtividade em Pesquisa

Este estudo visa a dimensionar mudança radical na recontextualização educacional das tecnologias da informação e da comunicação (TIC): de recursos agregados ao processo de ensino à condição de estratégia de substituição tecnológica, implicando esvaziamento e precarização do trabalho docente. Do ponto de vista teórico, pretende aprofundar a noção formulada (substituição tecnológica), submetendo-a à prova prática sistemática. Em termos políticos, constitui estudo de caso no contexto das políticas educacionais em curso. Com base na análise crítica do discurso (ACD), aborda proposições e documentos oficiais para a aproximação dos elementos lexicais, sintáticos e de modalização no movimento de esvaziar o trabalho docente, na medida em que os objetos tendem a ser posicionados como sujeitos nas/das formulações. Assume os objetos técnicos, ora relexicalizados como objetos de aprendizagem, como parte, e meio, de consolidação do deslocamento que concebe os professores como aqueles de quem se espera a realização de um conjunto de tarefas predefinidas para o ensino dito bem sucedido. Sua pretensão maior é contribuir para o desenvolvimento de alternativas contra hegemônicas para o encaminhamento das questões relativas à formação e ao trabalho docente no contexto atual.

    

TÍTULO DA PESQUISA

A hegemonia da substituição tecnológica nas formulações da Secretaria Municipal de Educação do Rio de Janeiro, a partir de 2009

PERÍODO:

2014 - 2018

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Educação e Comunicação

FINANCIAMENTO(S)

APQ 1 Faperj (2014-2016) Prociência (2015-2017)

Este estudo se propõe a analisar as formulações acerca da recontextualização educacional das tecnologias da informação e da comunicação (TIC) na rede pública de ensino do Município do Rio de Janeiro, desde 2009, de modo a dimensionar uma mudança radical: de recursos agregados ao processo de ensino, como um todo, a estratégia de substituição tecnológica. Em termos teóricos, pretende submeter a noção acima a uma prova prática sistemática. Em termos políticos, constitui estudo de caso no contexto das políticas educacionais em curso. Através da análise crítica do discurso (ACD), aborda proposições e documentos oficiais para a aproximação dos elementos lexicais, sintáticos e de modalização no movimento de esvaziar o trabalho docente, na medida em que os objetos tendem a ser posicionados como sujeitos nas/das formulações. Como estratégia de substituição tecnológica, as tecnologias (objetos técnicos e objetos de aprendizagem) são parte, e meio, de consolidação do deslocamento em tela, que concebe os professores como aqueles de quem se espera a realização de um conjunto de tarefas predefinidas para o ensino dito bem sucedido. Sua pretensão maior é contribuir para o desenvolvimento de alternativas contra-hegemônicas para o encaminhamento das questões relativas à formação e ao trabalho docente no contexto atual.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Políticas de formação de professores: a hegemonia da substituição tecnológica

PERÍODO:

2013 - 2016

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Educação e Comunicação

FINANCIAMENTO(S)

CNPq - Edital Universal (2013-2016)

Este projeto parte da análise da recontextualização das tecnologias da informação e da comunicação (TIC), empreendida nas pesquisas anteriores, a partir da hipótese de trabalho de que as políticas de formação de professores têm remetido a diversas estratégias de substituição tecnológica. Em outras palavras, considera que, neste contexto, as TIC não têm o sentido de agregar valor às práticas desenvolvidas, mas são recontextualizadas como meio de favorecer o esvaziamento do trabalho docente, através de vários deslocamentos do professor para a posição de quem simplesmente executa tarefas predefinidas. No conjunto das estratégias assumidas, objetiva a política de disponibilização dos bancos de "objetos de aprendizagem" na condição de fórmula independente das condições objetivas dos mais variados contextos, como aulas prontas e reutilizáveis, podendo ser acessadas com base em temática e nível de ensino, no enredo do deslocamento dos sujeitos para os objetos.
Empreende a análise crítica de discurso (ACD) das políticas de formação de professores, em nível macro, de modo a dimensionar o sentido hegemônico em questão. Por outro lado, considerando que as vozes dos professores têm estado ausentes nas formulações políticas objetivadas, analisa também os discursos dos professores acerca do lugar contraditório a eles atribuído, tendo como horizonte as condições de possibilidade da construção coletiva de sentidos contra-hegemônicos para as TIC no processo de ensinar-aprender.

    

TÍTULO DA PESQUISA

A recontextualização das tecnologias de informação e comunicação nas políticas de formação de professores em curso no Brasil

PERÍODO:

2010 - 2015

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Educação e Comunicação

FINANCIAMENTO(S)

CNPq: Edital Universal (2009) e Bolsa de Produtividade em Pesquisa (2010) FAPERJ - APQ1 (2012)

O presente projeto parte da consideração de que, nos últimos três anos, as políticas de formação de professores têm assumido formas de institucionalização cada vez mais abrangentes e concretas, compreendendo: (1) a instituição do Sistema Universidade Aberta do Brasil (UAB); (2) a sua localização na redimensionada Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes); (3) o Instituto Nacional de Estudos Pedagógicos Anísio Teixeira (INEP) e o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE) como espaços de acompanhamento, avaliação e financiamento de projetos, programas e ações direcionados à UAB-Capes; (4) a proliferação, em vários níveis, de projetos centrados na distribuição de artefatos tecnológicos (laptops e desktops) para elevar a qualidade da educação pública; e (5) a configuração da Política Nacional de Formação de Profissionais do Magistério da Educação Básica.
Neste novo contexto, o discurso das políticas não pode ser visto apenas como declaração de intenções. Configura estratégia de gerenciamento do conjunto de circunstâncias da sua aplicação, através de Leis, Decretos e Portarias que, por sua vez, têm em comum a aposta nas tecnologias de informação e comunicação (TIC).
Com base análise crítica do discurso, formulada por Norman Fairclough, este projeto assume que a recontextualização é um processo de apropriação cujas características e resultados dependem das circunstâncias concretas dos diversos contextos. Assim, se por um lado supõe que sua complexidade escape às tentativas de controle, por outro, parte do princípio de que a articulação de esforços neste sentido deve ser objetivada. Portanto, visa a: (1) discutir as relações entre a configuração UAB-Capes e a formação de professores como um todo; (2) caracterizar continuidades e rupturas das políticas atuais de formação de professores em relação às anteriores; e (3) analisar os modos de recontextualização das TIC no conjunto das políticas em curso.