O Programa > Docentes > Projetos de Luiz Antonio Gomes Senna               < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

Culturas em contato no processo de letramento

PERÍODO:

2017 - 2020

LINHA DE PESQUISA

Educação Inclusiva e Processos Educacionais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Linguagem, Cognição Humana e Educação Inclusiva

FINANCIAMENTO(S)

PROEX CAPES (2017-2020) # Programa PROCIENCIA UERJ/FAPERJ (2017-2020) # FAPERJ (CNE / 2018-2020)

Programa e base do VI ciclo de pesquisas do Grupo Linguagem, Cognição Humana e Processos Educacionais, retoma abordagens de cunho teórico no estudo das condições gerais do processo de letramento na educação básica brasileira, no âmbito do qual estão incluídos os diferentes campos curriculares vinculados, a saber: alfabetização, formação de leitores, produção de textos, educação matemática e científica. O programa congrega projetos específicos de pesquisa e formação de RH em nível de mestrado e doutorado, cujos objetivos visam a contribuir com a identificação de fatores responsáveis pela perpetuação de situações de severo custo no desenvolvimento e uso dos códigos e sistemas de representação da cultura letrada escolar na sociedade brasileira. Seus objetos primários variam entre: (i) fenômenos associados às propriedades intelectuais e socioafetivas de sujeitos sociais em condição de diversidade, sejam entre aqueles com necessidades especiais, ou em condição de marginalidade cultural, e (ii) fenômenos associados às propriedades estruturais e estruturantes das peças mais representativas da cultura letrada moderna, a saber, a escrita alfabética e as representações algorítmicas da matemática. O programa dá consecução a estudos anteriores do grupo de pesquisa, deles resgatando os conceitos de sistemas metafóricos e de modos do pensamento, com base nos quais fundamentam-se explicações que nos permitem caracterizar as produções realizadas por alunos em processo de letramento como formas plenas e legítimas, em coerência com a noção vygotskiana de desenvolvimento proximal. Nesta fase de estudos, o grupo avança na investigação de fatores que resultam em custo severo de plena apropriação das formas reconhecidas como adequadas à cultura letrada. Consideram-se, aqui, a formação inicial na alfabetização (com foco sobre os casos interdição no processo de construção da escrita) e os casos ordinariamente associadas àquilo que se vem usando chamar analfabetismo funcional, identificado tanto no uso da escrita alfabética como no dos recursos da matemática escolar, ou outros instrumentos da cultura acadêmica.
*
Projeto de pesquisa formador vinculado: "Culturas em contato no processo de letramento: custos de apropriação do sistema da língua escrita a partir de interferências e imposições do processo de gramatização sobre a identidade morfossintática do português moderno".

    

TÍTULO DA PESQUISA

Formação inicial de professores agentes de letramento na educação fundamental e média

PERÍODO:

2013 - 2017

LINHA DE PESQUISA

Educação Inclusiva e Processos Educacionais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Linguagem, Cognição Humana e Educação Inclusiva

FINANCIAMENTO(S)

CAPES (AEX - 2013; PROEX - 2013-2016) ) / FAPERJ-Cientistas do Nosso Estado (2015-2017)

Projeto norteador do grupo de pesquisa, tem por pressuposto que o letramento é o processo formativo cuja função é promover a integração do sujeito social às práticas de construção de conhecimento e de expressão, fazendo uso dos modos narrativo e científico do pensamento. Ainda no que concerne à definição do processo de letramento, consideram-se como domínios específicos, ainda que complementares, a formação com vistas ao desenvolvimento de diferentes modalidades de leitura e experienciação do mundo, o desenvolvimento da faculdade natural de produção de formas textuais, em suas mais que diferenciadas formas, desde as verbais, não verbais e científicas propriamente ditas, como a matemática, e, finalmente, a alfabetização, tomada como processo específico de identificação e apropriação do sistema da escrita da cultura científica, na forma do código alfabético, do código matemático e dois demais códigos particulares de outros segmentos da cultura científica formal. Em consequência disto, o letramento é aqui compreendido como um domínio acadêmico interdisciplinar, cujo desenvolvimento é matéria e esforço do coletivo dos licenciados que atuam na educação básica fundamental e média, incluindo-se a educação infantil, então arrolados na expressão “agentes de letramento”.
Resgatando o campo da formação de professores (objeto específico do terceiro ciclo de estudos do grupo de pesquisa), este projeto focaliza os aspectos que se assinalam determinantes do processo de formação inicial dos docentes que atuarão como agentes de letramento na educação básica brasileira. Sua motivação persiste no fato de que a formação oferecida aos licenciandos não os tem preparado satisfatoriamente a promover a superação dos problemas de letramento identificados entre os alunos da educação básica, especialmente entre os oriundos de segmentos sociais historicamente excluídos ou em situação de periferia em relação à cultura científica dominante. O projeto tem por finalidade definir um conjunto de princípios norteadores de um programa curricular de formação de agentes de letramento em cursos de formação inicial de professores. Por estratégia de trabalho, pretende-se reunir e sistematizar o conjunto de contribuições trazidas pelo grupo de pesquisa Linguagem Cognição Humana e Processos Educacionais e confrontá-las aos seguintes campos acadêmicos: (i) históricos, concernentes aos fatores que concorreram para a formação da cultura que, ainda hoje, define as finalidades e formas do currículo e das políticas de formação básica no país; (ii) filosóficos, concernentes ao estatuto epistemológico de um programa curricular de formação de licenciandos em nível de graduação, aplicável, indistintamente, às modalidades presencial ou à distância.

Projeto de pesquisa vinculada - Diretrizes para avaliação e seleção do livro de didático da disciplina de língua portuguesa e redação em classes com dificuldades de aprendizagem
Orienta-se no sentido de assistir a comunidade docente da disciplina de Língua Portuguesa (incluindo o componente curricular de produção textual) no processo de discussão acerca da escolha de livros didáticos a serem adotados nas diferentes séries do ensino médio. A questão de fundo que o motiva é a aparente dissociação entre a estrutura geral dos livros disponíveis para adoção pelo professorado e as demandas singulares dos alunos que apresentam defasagem ou dificuldade no desempenho das competências intelectuais e gramaticais esperadas neste segmento do ensino básico. As duas questões que essencialmente orientam este projeto – por se tratarem daquelas que se espera possam nortear o processo de escolha de livros didáticos – são: (i) como a doutrina teórico-gramatical do livro didático orienta o professor na concepção dos objetivos do ensino de fatos de gramática e de produção de textos?; (ii) o livro didático contribui para que o professor desenvolva um modelo de ensino orientado aos alunos com defasagem ou dificuldade de produção de textos?

    

TÍTULO DA PESQUISA

Representação fonológica em sistemas metafóricos - repercussões e críticas à concepção biológica de fonema gramatical na teoria lingüística e à consciência fonológica nas práticas de alfabetização

PERÍODO:

2009 - 2012

LINHA DE PESQUISA

Educação Inclusiva e Processos Educacionais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Linguagem, Cognição Humana e Educação Inclusiva

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ / CAPES / CNPq

A noção de consciência fonológica, tal como vem sendo arrolada em práticas de alfabetização, é particularmente carente de discussão acadêmica, pois assume como pressupostos duas premissas equivocadas: a primeira, quanto à possibilidade de a escrita ser estrutural e fenomenologicamente comparável à fala, a cuja natureza pertencem os fonemas; a segunda, quanto à possibilidade de que o conceito de fonema que se construiu na teoria lingüística, com características lógico-cartesianas e pretensões biologizantes, corresponda, de fato, aos conceitos fonêmicos com que opera a mente humana na produção da fala. Em razão disto, em inúmeras situações, o sujeito alfabetizando produz certo tipo de escrita cuja natureza o professor só é capaz de explicar a partir da noção de erro produtivo, já clássica alegoria piagetiana incorporada à cultura dos estudos sobre a alfabetização a partir da Psicogênese da Língua Escrita. Incapaz de explicar o estado de escrita apresentado pelo aluno, o erro produtivo em nada contribui para a superação dos inúmeros casos de custo no processo de alfabetização. Este projeto toma por objeto o conceito de fonema, analisado na perspectiva teórica dos sistemas gramaticais de base metafórica, com vistas à formulação de hipótese teórico-descritiva adequada à fundamentação da noção de consciência fonológica aplicada à alfabetização.

    

TÍTULO DA PESQUISA

O letramento nos fundamentos epistemológicos e descritivos da Lingüística - caracterização do perfil de sujeito cognoscente subjacente às teorias de gramática e seus contrapontos na Psicolingüística e na Sociolingüística.

PERÍODO:

2006 - 2008

LINHA DE PESQUISA

Educação Inclusiva e Processos Educacionais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Linguagem, Cognição Humana e Educação Inclusiva

FINANCIAMENTO(S)

O projeto retoma questões relacionadas ao processo de letramento no ensino básico, desta feita com interesse nos aportes teóricos da Lingüística contemporânea, visando a analisar o impacto de suas contribuições para a compreensão de fatos gramaticais presentes no comportamento textual dos alunos em formação. Sua motivação é histórica no interior do Grupo de Pesquisa Linguagem, Cognição Humana e Educação Inclusiva, remontando aos anos de 1990, quando já se discutia a fragilidade da descrição gramatical em face de sua circunscrição a uma concepção de mente estritamente centrada nos domínios objetais da própria Lingüística (cf. Fase 1 do G.P., acessível em http://www.senna.pro.br/area/area_grupo.htm). Desde lá, o grupo perseguiu orientações teóricas interdisciplinares, com base nas quais sustentou para si um conceito consistente de Letramento, sob a perspectiva de um processo relacionado ao desenvolvimento dos modos do pensamento, e, mais adiante, o conceito funcional de sistemas metafóricos, já em sua fase atual de estudos. No projeto anterior – concluído em 2005 – investigaram-se textos produzidos por alunos do Ensino Médio, desde os quais foi observado que: (i) seu comportamento na produção de textos apresenta fortes características psicolingüísticas de bilingüismo, marcadas pela ocorrência de estruturas que refletem a interferência da LO sobre os parâmetros gramaticais da LE; (ii) tais interferências costumam provocar custos os mais severos na comunicação escrita, especialmente quando envolvendo categorias e/ou traços vinculados ao domínio gramatical da coesão e da coerência; (iii) a ocorrência e interferências de LO sobre a LE tende a não manter proporcionalidade em relação ao nível de conhecimento do aluno acerca do sistema da gramática formal que rege a escrita. Em conseqüência do observado em alunos cursando as últimas séries da Educação Básica, conclui-se que o fundamento teórico empregado pelo professor não lhe vem oportunizando condições de intervir objetivamente no desenvolvimento de sujeitos usuários da LE, de modo a que sua produção textual apresente interferências de LO com intensidade suficientemente baixa e controlada, tal como esperado ao final do processo de Letramento do cidadão comum para fins de produção de textos escritos em suportes não hipertextuais. Assume-se como dado, o fato de que as condições de uso da escrita em suportes hipertextuais disponibilizados na cultura informática contemporânea conduzem o falante a gerar e operar certo sistema gramatical metafórico, estruturado a partir da conjunção de propriedades estruturais dos sistemas de LO e LE, fundamentalmente marcado por traços do pensamento narrativo. O objeto do presente projeto de estudos é sujeito falante resultante de tais condições de produção, este que, portanto, gera e opera o sistema gramatical metafórico em que se sustenta o texto em mídias hipertextuais, cujas propriedades assemelhar-se-ão a inteferências de LO sobre LE, sem que, na realidade, o sejam, já que à luz das condições de produção resultam propriamente de um sistema plenamente funcional do ponto de vista comunicativo. Isto considerado, toma-se por OBJETIVO investigar a compatibilidade dos modelos de sujeitos falantes subjacentes à teoria lingüística, de modo a verificar em que medida sua orientação contribui para o estudo do sujeito falante contemporâneo, ao mesmo tempo, sob as perspectivas explanatórias e descritivas, ambas necessárias à formação teórica do professor de ensino básico.