O Programa > Docentes > Projetos de Inês Barbosa de Oliveira               < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

EDUCAÇÃO CIDADÃ, JUSTIÇA COGNITIVA, EMANCIPAÇÃO SOCIAL NAS ESCOLAS: POLÍTICASPRÁTICAS EDUCACIONAIS COTIDIANAS E SEUS PRATICANTESPENSANTES

PERÍODO:

2013 - 2018

LINHA DE PESQUISA

Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ (CNE 2015-2018), UERJ (Pró-ciência 2015-2018) CNPq (PQ 1D 2014 - 2018), Universal CNPq 2014.

Este projeto se inscreve no trabalho do grupo de pesquisa Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar, que desenvolve, desde 1999, projetos de investigação voltados para o cotidiano escolar, as práticas neles desenvolvidas e o sentido emancipatório que podem possuir, nas diferentes circunstâncias em que são desenvolvidas. Dá continuidade ao projeto atualmente em etapa final, configurando-se como uma segunda fase dele, na qual resultados produzidos e questões que deles emergiram assumem preponderância. O grupo vem buscando compreender aquilo que se passa na vida cotidiana, em diferentes espaços educativos, as possibilidades emancipatórias e as especificidades que expressam as práticas neles desenvolvidas, seus fundamentos e possibilidades. O principal objetivo é constituir conhecimento sobre a possível contribuição da educação à tessitura da emancipação social, no quadro da justiça cognitiva e social, da democracia e da ecologia de saberes.
O trabalho de pesquisa continuará a ser desenvolvido em frentes complementares que articulam reflexões teórico-epistemológicas, teórico-metodológicas e empiria. Buscamos a compreensão das relações entre conhecimentos e valores hegemônicos com a construção de relações mais ecológicas entre diferentes conhecimentos. Ampliar nossa compreensão das ações educativas fundamentadas em diferentes racionalidades é fundamental para melhor apreensão das redes de conhecimentos presentes na sociedade e na formação cidadã, bem como da constituição de identidades dos sujeitos. Nesse sentido, o estudo das relações entre Currículo e Democracia reveste-se de particular importância, bem como o aprofundamento dos estudos da Sociologia do Cotidiano e das Epistemologias do Sul.
Estudaremos, em uma segunda frente, modos de compreensão aprofundados dos procedimentos apropriados à pesquisa e aos resultados que pretendemos obter. Assim, reflexões teórico-metodológicas se associam a procedimentos de observação participante e de trabalho com narrativas docentes visando ao amadurecimento das construções metodológicas das pesquisas nos/dos/com os cotidianos que vimos desenvolvendo.
Na terceira frente de ação, serão estudadas ações educativas por meio de observação participante e o trabalho, ao longo de todo o período de desenvolvimento da pesquisa, com narrativas docentes e discentes coletadas em associação com projeto de extensão já em desenvolvimento.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Redes de saberes, práticas sociais e culturas na formação das subjetividades democráticas: formação cidadã cotidiana e emancipação social

PERÍODO:

2009 - 2013

LINHA DE PESQUISA

Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar

FINANCIAMENTO(S)

CNPq, FAPERJ

Este projeto de pesquisa se inscreve no trabalho do grupo de pesquisa Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar, que desenvolve, desde 1999, projetos de investigação voltados para o cotidiano escolar, as práticas que neles se desenvolvem e o sentido emancipatório que elas possuem, ou não.
Com base nos resultados do último Projeto (2006-2009), este se desenvolverá utilizando elementos das Teses sobre a democracia combinados à Sociologia das Ausências (Santos, 2004) como fundamentação teórica para a busca de indícios de práticas que contribuam para a formação de subjetividades democráticas, capazes de compreender de modo mais horizontalizado a relação entre os diferentes saberes e culturas. O interesse do investimento nessa reflexão está no possível reconhecimento do caráter complexo, múltiplo e polifônico das práticas educativas que contribuam para a formação dessas subjetividades como meio de produção de conhecimento a respeito da nossa formação e de possível multiplicação de experiências educativas atualmente invisibilizadas. Acredito ser de alta relevância pesquisar essas práticas com potencial democratizante. Conhecer e compreender práticas educativas promotoras da formação de subjetividades democráticas é, certamente, uma contribuição importante não só para a educação e a reflexão curricular como também para os debates em torno da possível contribuição da escola para a luta emancipatória e a democratização da sociedade.
Entendendo o cotidiano escolar como espaço de criação curricular (Oliveira, 2003), este projeto pretende investigar práticas pedagógicas desenvolvidas em escolas da rede pública de ensino buscando nelas indícios (Ginzburg, 1989) de contribuição à ampliação da democracia social. O projeto se desenvolverá em 3 dimensões, indissociáveis e complementares.
Do ponto de vista da reflexão teórica, prosseguiremos com o aprofundamento do debate epistemológico em torno da noção de cotidiano e desenvolvimento de formulações conceituais em torno dela. No que se refere à dimensão do amadurecimento metodológico, os progressos já efetivados nesse campo metodológico são importantes e esta pesquisa se dedicará ao desenvolvimento de um elemento pontual que envolve a opção por esse tipo de metodologia: a sua dimensão política. Com relação à dimensão empírica da pesquisa, o trabalho será desenvolvido com dados produzidos em trabalhos de campo anteriores e com observação de práticas desenvolvidas em escolas da rede pública que possam trazer novos elementos efetivos de contribuição para a compreensão dos processos de formação de subjetividades democráticas, ou seja, para a “ecologização” das relações entre diferentes saberes e culturas. Entendemos que essas práticas visando à emancipação social podem constituir conhecimento sobre a contribuição possível da educação à democratização da sociedade e, por isso, merecem observação, registro e divulgação de modo a ampliarem seu potencial democratizante.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Currículos praticados, emancipação social e democracia no cotidiano da escola: do invisível ao possível

PERÍODO:

2006 - 2009

LINHA DE PESQUISA

Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar

FINANCIAMENTO(S)

Edital Ciências sociais CNPq, Bolsa de Produtividade CNPq e Bolsa Prociência FAPERJ/UERJ, PIBIC CNPq e UERJ

O presente projeto de pesquisa se inscreve no trabalho do grupo de pesquisa Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar, que vem desenvolvendo, desde 1999 projetos de investigação voltados para o cotidiano escolar, as práticas que neles se desenvolvem e o sentido emancipatório que elas possuem ou não. Esse projeto dá continuidade ao trabalho do grupo na medida em que também é centrado nas possibilidades de compreensão ampliada da complexidade das realidades escolares e do potencial emancipatório de algumas práticas, buscando investir na contribuição possível da escola à democratização da sociedade.
Está centrado sobre as possibilidades de entendimento de dimensões até aqui invisíveis das realidades escolares e do potencial emancipatório que algumas práticas possuem, tudo isso com vistas ao desvendamento de possibilidades inscritas na realidade e ainda não realizadas de contribuição da escola à democratização da sociedade.
Com base na Sociologia das Ausências e na Sociologia das Emergências de Boaventura de Sousa Santos (2004), tanto do ponto de vista teórico-epistemológico quanto teórico-metodológico este Projeto desenvolver-se-á em três frentes de reflexão e produção de conhecimentos. Em primeiro lugar, daremos continuidade aos estudos voltados para o aprofundamento da compreensão e o desenvolvimento de formulações conceituais em torno da noção de cotidiano e de seu potencial teórico-epistemológico-metodológico. Em segundo lugar, continuaremos o desenvolvimento metodológico de procedimentos e formulações teórico-metodológicas da pesquisa nos/dos/com os cotidianos. Finalmente, o material acumulado (relatos, imagens e entrevistas) nas pesquisas anteriores, que testemunham a multiplicidade de "currículos praticados" (Oliveira, 2003) nos diferentes espaços escolares pelos diferentes sujeitos, será estudado como um conjunto que respeita uma lógica, diferente das estruturas nas quais se inscreve, mas que pode, talvez, ser captada e formulada como uma lógica das práticas (Certeau, 1994).
A hipótese de que, mesmo sendo específicas e singulares, visto que se desenvolvem em contextos e circunstâncias e por sujeitos diferentes, as práticas pedagógicas visando à emancipação social e que podem constituir conhecimento sobre a contribuição possível da educação formal à democratização da sociedade possuem aspectos e formas de desenvolvimento comuns que, uma vez devidamente percebidos e compreendidos, podem levar ao reconhecimento de elementos concretos que favorecem a democratização da escola e da sociedade e portanto, os processos reais de emancipação social. O trabalho sobre essa hipótese e a tentativa de confirmá-la através do trabalho sobre os resultados das pesquisas anteriores, bem como a possibilidade de multiplicação de práticas emancipatórias que se abre a partir dessa compreensão das práticas em sua lógica, são os principais objetivos deste projeto. Associam-se, também, aos objetivos já declarados de aprofundamento teórico e desenvolvimento metodológico no campo dos estudos no/do/com o cotidiano.
As atividades a serem realizadas ao longo da pesquisa visam a atingir os objetivos em suas três dimensões elencadas. A continuidade de um trabalho que vem sendo realizado há quase oito anos, tanto no que se refere ao desenvolvimento teórico-epistemológico quanto da metodologia de pesquisa, aliada ao uso de material produzido em pesquisas diferentes, mas a partir dos mesmos referenciais, permite prever que os objetivos poderão ser atingidos e que os resultados esperados serão obtidos.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Redes de conhecimentos emancipatórios no cotidiano escolar. alternativas e práticas pedagógicas em imagens

PERÍODO:

2003 - 2006

LINHA DE PESQUISA

Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Redes de conhecimentos e práticas emancipatórias no cotidiano escolar

FINANCIAMENTO(S)

CNPq - edital universal, bolsa de produtividade em pesquisa, FAPERJ/Pró-ciência, PIBIC CNPq e UERJ.

Dando continuidade a projetos anteriormente desenvolvidos, essa pesquisa tem como objetivo principal reconhecer espaços e práticas emancipatórios nos cotidianos escolares para desenvolver a idéia de uma pedagogia da emancipação (Santos, 1996) fundamentada no fazer cotidiano, buscando avançar idéias e ações que possam levar à compreensão, ao desenvolvimento e à institucionalização de alternativas curriculares mais democráticas. Pretendemos aprofundar o estudo a respeito dos processos através dos quais os professores criam currículo cotidianamente, articulando, nesse processo, saberes tecidos no cotidiano da prática pedagógica, nas relações com as normas oficiais, em processos formais de aprendizagem e de formação, além de tantos outros saberes que os constituem enquanto redes de subjetividades (Santos, 1995) e que os permitem agir sobre a realidade social e escolar criativamente. A abordagem teórico-epistemológico-metodológica está organizada em torno da noção de tessitura de conhecimentos em rede no cotidiano, necessária para pesquisarmos os processos educativos reais, fruto do enredamento de ações, convicções, saberes formais e eventos vividos, buscando compreender o que se passa, efetivamente, nas nossas salas de aula. É aqui que ganha relevância a noção de rede. Muito do que temos pesquisado é voltado para a idéia de entender como se cria/tece conhecimento no cotidiano em geral e no da escola, em particular. Para isso, temos, também, nos debruçado sobre a noção de cotidiano com apoio, sobretudo, no trabalho de Michel de Certeau. Com este, entendemos que as práticas cotidianas são desenvolvidas através de modos circunstancialmente definidos de usar produtos, materiais ou imateriais, oferecidos para consumo e o seu estudo permite compreender os conhecimentos emancipatórios (Santos, 2000; 1995) que os praticantes da vida cotidiana criam através desses usos. Esperamos, com isso, ampliar a compreensão do papel desempenhado pelos saberes cotidianos nos processos reais de aprendizagem, buscando superar a idéia de que os nossos currículos são, prioritariamente, compostos das disciplinas e saberes formalizados e estruturados nas propostas escritas. A partir dessa compreensão ampliada, pretendemos, desenvolver idéias a respeito da institucionalização possível de alternativas emancipatórias no campo das propostas curriculares visando a contribuir para processos sociais também emancipatórios. Buscaremos, ainda, nas experiências locais, indícios que nos ajudem a compreender os modos de tessitura dessas práticas emancipatórias nos contextos escolares onde estão em andamento processos de criação curricular. Prioritariamente através de material imagético, ao qual se juntarão momentos de observação participante e de coleta de depoimentos junto a professores e alunos, buscaremos compreender em que medida as redes de fazeres e saberes pedagógicos se concretizam não apenas através e a partir dos modelos, mas também enquanto alternativas tecidas pela ação dos sujeitos reais, nesse caso, as professoras e os alunos das escolas pesquisadas. Estudaremos, portanto, nessa Pesquisa, a produção cotidiana de alternativas curriculares, através do trabalho com as memórias e vivências docentes, verbais e/ou visuais e do estudo a respeito do trabalho cotidiano que realizam, esperando contribuir para a compreensão dos processos educativos reais e para o desenvolvimento de propostas e ações curriculares voltadas para os interesses e necessidades locais, bem como para o fortalecimento da educação emancipatória.