O Programa > Docentes > Projetos de Alice Casimiro Lopes               < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

Políticas de Currículo em uma perspectiva discursiva

PERÍODO:

2015 - 2018

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Políticas de currículo e cultura

FINANCIAMENTO(S)

Cientista do Nosso Estado Faperj (mar 2015 - fev 2018) - Prociência/UERJ (ago 2014 - jul 2017) - Bolsa de Produtividade do CNPq nível 1 B (mar 2017 a fev de 2021) - articulado aos projetos Estudos Interdisciplinares em Teoria do Discurso, apoiado no âmbito do Programa Bilateral Faperj/CONICET. Bolsa TCT Faperj.

Este projeto busca aprofundar a compreensão da política de currículo em um enfoque pós-fundacional e pós-estrutural, operando com a desconstrução das representações sedimentadas do que vêm a ser: currículo de qualidade, sujeito educado, boa escola, bom ensino, conhecimento legitimado/poderoso, e currículo para o futuro, dentre outras representações que norteiam os sentidos da política. São particularmente investigadas nesta pesquisa as atuais políticas de educação básica, destacando aquelas dirigidas para o ensino médio, nível que, por ter o caráter de terminalidade, é construído fortemente pelo projeto de formação do sujeito educado (sujeito para o mundo em mudança, sujeito emancipado, cidadão, profissional e tantos outros discursos associados ao projeto social da educação). Como material empírico, são priorizados os documentos curriculares que circulam socialmente, seja com assinatura do MEC ou de consultores oficialmente convidados, sejam as produções acadêmicas que apresentam orientações curriculares/teorias/proposições para as políticas. Este projeto se articula diretamente ao projeto Estudos Interdisciplinares em Teoria do Discurso, apoiado no âmbito do Programa Bilateral Faperj/CONICET (ver resumo em www.proped.pro.br). É por intermédio da centralidade do político e da crítica aos fundamentos fixos do social que a teoria do discurso vem sendo incorporada à Educação e mais centralmente ao campo do Currículo. Tal incorporação se faz no âmbito do questionamento das próprias bases do projeto educacional da Modernidade, provocando impasses importantes na forma de compreender as finalidades educativas. Os projetos em andamento de mestrandos e doutorandos vinculados a esta pesquisa focalizam a educação básica, a formação de professores, o currículo escolar, o currículo de disciplinas específicas, com foco nas políticas de currículo e nos enfoques discursivos, sempre na perspectiva de valorizar as dimensões antagônicas, conflituosas, indecidíveis e indeterminadas, porque contingentes, da política.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Estudos interdisciplinares em Teoria do Discurso

PERÍODO:

2014 - 2018

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Políticas de currículo e cultura

FINANCIAMENTO(S)

Faperj / Conicet

Este projeto tem por objetivos: a) realizar estudos interdisciplinares sobre teoria do discurso, cruzando estudos já realizados na América Latina no âmbito das ciências humanas, com foco na política, na psicanálise, na filosofia e na educação; b) ampliar o intercâmbio já realizado entre a linha de pesquisa Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura, do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Brasil, e o Instituto de Estudios Interdisciplinarios de América Latina, da Facultad de Filosofia y Letras de la Universidad de Buenos Aires, Argentina, articulando com grupos de pesquisa da FEBF/UERJ, da UERN e da UFRJ; c) realizar uma pesquisa teórica sobre política, tendo em vista a teoria do discurso de Laclau e Mouffe, com foco nos efeitos de liberdade e de hiperpolitização potencializados pelas teses pós-fundacionais, bem como nas subjetividades políticas que se constituem por intermédio das articulações, contingentes e provisórias, em torno de determinadas bandeiras e nomes da política. Para tal, os estudos de Laclau e Mouffe serão cotejados com os estudos de Lacan e Derrida, problematizando as noções de: hegemonia, antagonismo, subjetividade/alteridade, subjetivação/identificação, diferença e representação. São previstas duas missões de estudo de pesquisadores brasileiros na Argentina e duas missões de pesquisadores argentinos no Brasil (uma de cada país no primeiro ano do projeto e outra no segundo ano do projeto), cada um delas de 30 dias. Em cada missão, serão realizados: a) discussões teóricas sobre os temas propostos no presente projeto; b) cursos dos pesquisadores convidados, em nível de pós-graduação, de maneira a ampliar o conhecimento sobre teoria do discurso nas instituições envolvidas; c) debates sobre as conclusões do projeto, de maneira a socializar os resultados das pesquisas desenvolvidas

    

TÍTULO DA PESQUISA

Discurso e representação nas políticas de currículo

PERÍODO:

2011 - 2015

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Políticas de currículo e cultura

FINANCIAMENTO(S)

CNPq, Faperj e Uerj

Este projeto visa a investigar o discurso da política de currículo para o ensino médio durante o período 2003-2010, na vigência do governo Luís Inácio Lula da Silva. Com base na teoria de Ernesto Laclau, em alguns momentos apoiado por Chantal Mouffe, procuramos explorar a compreensão da política de currículo como luta discursiva pela constituição de representações. Se entendemos a negociação nas políticas de currículo como articulação discursiva, estamos afirmando que alguns grupos sociais particulares são capazes de se articular entre si, provisória e contingencialmente, na defesa de suas diferentes demandas curriculares. Dessa maneira, constituem dadas representações para o currículo. Tornam-se, então, questões gerais de pesquisa neste projeto: como entender as atuais lutas por representação nas políticas de currículo para o ensino médio? Como investigar os sentidos que circulam na constituição dessas representações? Que discursos favorecem determinados sentidos nas políticas? Serão particularmente investigados os significantes inovação / mudança curricular, qualidade da educação, melhores práticas, bem como as diferentes adjetivações para o currículo: flexível, dinâmico, diversificado, criativo, compatível com as exigências da sociedade contemporânea. Procuraremos entender as disputas no processo de fixação de sentidos desses significantes, bem como as flutuações de sentido que favorecem um dado discurso por intermédio da análise das metáforas e metonímias. Para essa análise, serão focalizados os documentos curriculares difundidos pelo MEC no período citado, com ênfase nas Orientações Curriculares para o Ensino Médio, na proposta de Ensino Médio Inovador e no Programa Currículo em Movimento. Com base em Stephen Ball, esses documentos são entendidos como produção de múltiplos contextos sociais atuantes na política e como tentativas de representação das políticas. Desenvolveremos nossa argumentação tendo em vista que, na teoria do discurso, toda representação implica uma relação de constituição mútua entre representante e representado, na qual é impossível haver uma pura transparência. No processo democrático, não podemos escapar à representação, mas podemos inserir sua análise em uma contingência radical. No caso em questão, trabalharemos com a hipótese de que as representações da política são construídas pela articulação de elementos discursivos de tradições, na acepção de Chantal Mouffe, curriculares relativas: ao conhecimento e às disciplinas escolares, à diversidade cultural, à centralidade dos conteúdos marcados pelo viés crítico-social, mas também relativas às demandas vinculadas ao discurso científico-tecnológico e às competências.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Articulação nas Políticas de Currículo

PERÍODO:

2008 - 2011

LINHA DE PESQUISA

Currículo: sujeitos, conhecimento e cultura

GRUPO(S) DE PESQUISA

Políticas de currículo e cultura

FINANCIAMENTO(S)

Bolsa de Produtividade 1D CNPq, Auxílio Pesquisa FAPERJ, Bolsa Prociência Faperj/UERJ, Bolsa Pesquisador do Nosso Estado Faperj

Este projeto investiga a articulação (Laclau) entre demandas educacionais, com o intuito de entender a constituição de hegemonias nas políticas de currículo. São focalizadas as políticas de currículo para a área de Ciências no ensino médio do RJ, analisando documentos curriculares circulantes no estado desde a LDB, em 1996. Na medida em que as políticas não se dissociam das práticas (Ball), o foco nos documentos curriculares não implica desconsiderar os sentidos das práticas nas escolas. Entendemos tais sentidos como hibridizados (Canclini e Hall) aos demais sentidos em disputa nos contextos de produção das políticas e, portanto, como também expressos nas propostas curriculares. Analisamos os processos de articulação entre demandas das perspectivas instrumentais, das construtivistas e daquelas que valorizam a centralidade do trabalho nas políticas de currículo, considerando tal processo como evidenciado particularmente nas políticas para o ensino de ciências no nível médio. Defendemos que tal articulação visa a hegemonizar um projeto de cultura comum que se antagoniza com o que é entendido como o currículo tradicional. Esse currículo tradicional, por sua vez, é entendido como não sintonizado com o que se projeta como o mundo em mudança. Dessa forma essas políticas adquirem sintonia com demandas de políticas de currículo mais amplas, favorecendo sua legitimação. De forma integrada a esse projeto, o grupo desenvolve pesquisas sobre políticas de currículo nos mais diferentes sistemas e níveis de ensino, focalizando diferentes disciplinas e instituições.