O Programa > Docentes > Projetos de José Gonçalves Gondra               < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

A escrita da história da educação brasileira: saberes, poderes e sujeitos (1822-1889) – Fase IV

PERÍODO:

2016 - 2018

LINHA DE PESQUISA

Instituições, Práticas Educativas e História

GRUPO(S) DE PESQUISA

Instituições, Práticas Educativas e História

FINANCIAMENTO(S)

CAPES - PROEX (2013-2017) CNPq - Produtividade em Pesquisa (PQ 1C, 2012-2015, PQ 1B - 2016-2019), Edital Universal (2013-2016, 2016-2018) FAPERJ - Edital de Apoio a Escola Pública (2014-2016), Cientista do Nosso Estado (2013-2015, 2015-2018) UERJ - Prociencia (2014-2017)

A pesquisa focaliza a reflexão historiográfica em torno do período da história da educação brasileira que corresponde ao aparecimento da escola como forma privilegiada de intervenção no curso da vida, no funcionamento da sociedade, na gestão da população e na constituição e individualização dos sujeitos. Trata-se, portanto, de privilegiar o estudo referente ao período que corresponde ao funcionamento do Estado Imperial e analisar as representações que vêm sendo forjadas a respeito deste período na historiografia da educação brasileira. Deste modo, pretende-se interrogar a presença dos sujeitos/instituições e as relações dos mesmos com a configuração de problemas, fontes e abordagens na escrita da história da educação brasileira, enfatizando, para tanto, o exame da escrita que recobre o período entre 1822 e 1889. De modo correlato, mas na direção invertida, trata-se de pensar o modo como as configurações referidas procuram instaurar determinadas tradições no que se refere às práticas de escrita e de ensino de história da educação no Brasil e seus efeitos na formação dos profissionais da educação. Na fase atual da pesquisa dar-se-á sequência ao estudo de algumas experiências nacionais de escrita da história da educação procurando, contudo, observar suas articulações com práticas internacionais, sobretudo com a de alguns países da América. Nesta fase, focalizamos o estudo dos núcleos documentais que orientaram as narrativas a respeito da história da educação no Império brasileiro.

    

TÍTULO DA PESQUISA

A escrita da história da educação brasileira: saberes, poderes e sujeitos (1822-1889) – Fase III

PERÍODO:

2011 - 2015

LINHA DE PESQUISA

Instituições, Práticas Educativas e História

GRUPO(S) DE PESQUISA

Núcleo de Ensino e Pesquisa em História da Educação (NEPHE)

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ, CNPQ, UERJ.

A pesquisa focaliza a reflexão historiográfica em torno do período da história da educação brasileira que corresponde ao aparecimento da escola como forma privilegiada de intervenção no curso da vida, no funcionamento da sociedade, na gestão da população e na constituição e individualização dos sujeitos. Trata-se, portanto, de privilegiar o estudo referente ao período que corresponde ao funcionamento do Estado Imperial e analisar as representações que vêm sendo forjadas a respeito deste período na historiografia da educação brasileira. Deste modo, pretende-se interrogar a presença dos sujeitos/instituições e as relações dos mesmos com a configuração de problemas, fontes e abordagens na escrita da história da educação brasileira, enfatizando, para tanto, o exame da escrita que recobre o período entre 1822 e 1889. De modo correlato, mas na direção invertida, trata-se de pensar o modo como as configurações referidas procuram instaurar determinadas tradições no que se refere às práticas de escrita e de ensino de história da educação no Brasil e seus efeitos na formação dos profissionais da educação. Na fase atual da pesquisa dar-se-á sequência ao estudo de algumas experiências nacionais de escrita da história da educação procurando, contudo, observar suas articulações com práticas internacionais, sobretudo com a de alguns países da América.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Circulação de modelos pedagógicos, sujeitos e objetos entre Brasil e Argentina (séculos XIX e XX)

PERÍODO:

2011 - 2013

LINHA DE PESQUISA

Instituições, Práticas Educativas e História

GRUPO(S) DE PESQUISA

Núcleo de Ensino e Pesquisa em História da Educação (NEPHE)

FINANCIAMENTO(S)

CAPES (Brasil) e SPU (Argentina)

O projeto tem como foco a circulação internacional de modelos pedagógicos, sujeitos e objetos entre o Brasil e a Argentina, entre o final do século XIX e o século XX. Os objetivos que orientam a proposta permitem tomar a temática da circulação em uma dupla dimensão, que diz respeito, por um lado, aos intentos de flagrar os modos como se articularam os processos de difusão internacional da escola, bem como os entrecruzamentos entre as histórias desses dois países; e, por outro, aos propósitos de promover o intercâmbio de docentes, pesquisadores e estudantes brasileiros e argentinos, contribuindo, por essa via, para a formação de recursos humanos altamente qualificados e para a internacionalização dos programas de pós-graduação. Para tanto, o projeto privilegia os seguintes eixos temáticos:

a) conexões e intercâmbios de idéias e experiências;
b) migração e escolarização;
c) trajetórias de professores e estudantes;
d) produção e circulação de saberes e objetos escolares;
e) historiografia sobre a temática.

    

TÍTULO DA PESQUISA

A escrita da história da educação brasileira: saber, poder e sujeitos (1822-1889)

PERÍODO:

2008 - 2010

LINHA DE PESQUISA

Instituições, Práticas Educativas e História

GRUPO(S) DE PESQUISA

Instituições, Práticas Educativas e História

FINANCIAMENTO(S)

UERJ, CNPq e FAPERJ.

A pesquisa focaliza a reflexão historiográfica em torno do período da história da educação brasileira que corresponde ao aparecimento da escola como forma privilegiada de intervenção no curso da vida, no funcionamento da sociedade, na organização da população e na constituição dos sujeitos. Trata-se, portanto, de privilegiar o estudo referente ao período que corresponde ao funcionamento do Estado Imperial e analisar as representações que vêm sendo forjadas a respeito deste período na historiografia da educação brasileira. Deste modo, pretende-se interrogar a presença dos sujeitos/instituições e as relações dos mesmos com a configuração de problemas, fontes e abordagens na escrita da história da educação brasileira, enfatizando, para tanto, o exame da escrita que recobre o período entre 1822 e 1889.