O Programa > Docentes > Projetos de Mailsa Carla Pinto Passos           < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

ENCONTROS COM A AFRODIÁSPORA EM AMBIENTES EDUCATIVOS: ESTÉTICA, DIALOGIA E ENUNCIAÇÃO

PERÍODO:

2015 - 2018

LINHA DE PESQUISA

Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Culturas e identidades no cotidiano

FINANCIAMENTO(S)

Programa CIENTISTA DO NOSSO ESTADO - FAPERJ - 2015 - e PROCIÊNCIA UERJ/FAPERJ

O projeto “Encontros com a afrodiáspora em ambientes educativos: estética, dialogia e enunciação” consiste no desdobramento de outros dois projetos. O primeiro deles, “Artes do fazer: diálogos e alianças da afrodiáspora em redes educativas”, e o projeto “Culturas, sonoridades e processos identitários afrodiaspóricos na comunidade escolar Compositor Luiz Gonzaga”. No presente projeto, temos como objetivo aprofundar nossos estudos sobre a afrodiáspora e compreender as narrativas dos sujeitos afrodiaspóricos sobre si e os processsos de negociação cultural presentes nestes discursos e práticas. Pretendemos compreender como se enunciam – suas linguagens, os diálogos culturais em sua dimensão ética e estética. Estas enunciações, em nosso ponto-de-vista, são acontecimentos com potencial emancipatório e de ressignificação da vida social. Temos como meta conhecer e registrar as formas de apropriação e usos (CERTEAU, 2006) das práticas culturais – as artes do fazer certeaunianas - tendo como princípio que os ambientes educativos são espaçostempos de emergência de saberes e que o cotidiano é espaçotempo de criação onde circulam discursos polifônicos (BAKHTIN, 2003), que nos oferecem pistas sobre os processos de negociação cultural. A pesquisa prevê tambéma a produção um arquivo audiovisual dessas enunciações, com a intenção de registrar a emergência de saberes e performances culturais produzidos como não existência, como nos sinaliza Santos, 2003. Temos como base teórica para este estudo Mikhail Bakhtin, Frantz Fanon, Michel de Certeau, Paul Gilroy, Muniz Sodré, Boaventura de Sousa Santos, Edward Said, dentre outrxs.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Culturas, sonoridades e processos identitários afrodiaspóricos na comunidade escolar Compositor Luiz Gonzaga

PERÍODO:

2013 - 2014

LINHA DE PESQUISA

Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Culturas e identidades no cotidiano

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ

O presente projeto está articulado à pesquisa “Artes do Fazer: Diálogos e Alianças da Afrodiáspora em Redes Educativas” - que tem financiamento do CNPq através do Edital Universal de 2012, e do Programa Jovem Cientista do Nosso Estado da FAPERJ, - desenvolvida pelo grupo “Culturas e Identidades no Cotidiano” no âmbito do Laboratório Educação e Imagem da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e do Programa de Pós-graduação em Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (PROPED/UERJ). A proposta que ora apresentamos consiste em um trabalho a ser desenvolvido em diálogo com os processos identitários dos sujeitos da afrodiáspora, tendo como base autores pós-coloniais como Homi Bhabha, Paul Gilroy e Stuart Hall. Em sintonia com o processo de implantação da Lei Federal nº 10.639/2003 (que prevê a inclusão da temática História e Cultura afro-brasileiras no currículo oficial das Redes de Ensino), nosso projeto tem como objetivo a criação e a gestão participativa de uma rádio na Escola Municipal Compositor Luiz Gonzaga, localizada em Jacarepaguá, Zona Oeste da Cidade do Rio de Janeiro. É importante ressaltar que educadores e educandos da referida escola já vêm realizando um trabalho neste sentido e que a viabilização deste projeto possibilitará a ampliação e o fortalecimento desta e outras práticas educacionais que possuem como principal característica o estreito diálogo com as práticas musicais presentes na comunidade escolar. Os recursos financeiros oriundos do presente edital irão subsidiar o, basicamente, seguinte: a) compra de equipamentos e materiais necessários para o funcionamento da rádio; b) realização de oficinas como, por exemplo, de som, de gravação e edição, de DJ, dentre outras; c) coordenação, planejamento e avaliação deste projeto por parte de nosso grupo de pesquisa e da comunidade escolar.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Artes do fazer: diálogos e alianças da afrodiáspora em redes educativas

PERÍODO:

2011 - 2014

LINHA DE PESQUISA

Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Culturas e identidades no cotidiano

FINANCIAMENTO(S)

PROCIÊNCIA 2011 e JOVEM CIENTISTA DO NOSSO ESTADO 2012, Edital Universal do CNPq 14/2012

O presente projeto de pesquisa consiste no desdobramento de dois outros projetos. O primeiro deles - Diálogos e encontros entre sujeitos afro-brasileiros e suas práticas culturais - começou a ser realizado no ano de 2009, contemplado pelo Programa Jovem Cientista do Nosso Estado, da FAPERJ, e pelo Edital Universal, do CNPq. É um desdobramento ainda do projeto Narrativas, imagens e processos identitários de crianças afro-brasileiras em uma escola pública do Rio de Janeiro, contemplado pelo Programa Apoio à Melhoria do ensino nas Escolas Públicas do Estado do Rio de Janeiro, pela Faperj, em 2010.
Nesta pesquisa pretendemos conhecer e registrar as formas de apropriação e usos das práticas culturais – em especial as práticas artísticas – bem como as relações entre essas práticas e os processos identitários, entendendo os ambientes educativos como espaçostempos polifônicos, de emergência de saberes e de memórias.
Esperamos assim contribuir para a produção de conhecimento em torno das práticas e dos processos identitários da afrodiáspora, promovendo o encontro entre jovens e crianças com artistas populares afrobrasileiros. Encontros que nos ajudarão a compreender como se estabelecem as alianças e os pactos identitários da afrodiáspora, através do diálogo destes sujeitos em torno do fazer artístico. Pressupomos que no Brasil os estudos que têm como foco as relações raciais não podem satisfazer-se com a mera constatação do racismo, mas principalmente contribuir na reparação social do que ele vem causando historicamente, o que pode ser realizado através da socialização/divulgação dos fazeres de sujeitos afrobrasileiros considerados referências éticas e estéticas.
A pesquisa tem como uma das metas a produção de material audiovisual a partir dos encontros realizados.
Nossa fundamentação teórico-metodológica conta com autores como Paul Gilroy, Mikhail Bakhtin, Stuart Hall, Muniz Sodré, Edward Said, Boaventura de Sousa Santos, Homi Bhabha, dentre outros.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Narrativas, imagens e processos identitários de crianças afro-brasileiras em uma escola pública do Rio de Janeiro.

PERÍODO:

2010 - 2011

LINHA DE PESQUISA

Cotidianos, Redes Educativas e Processos Culturais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Culturas e identidades no cotidiano

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ

O presente projeto está articulado à pesquisa “Diálogos e encontros entre sujeitos afro-brasileiros e suas práticas culturais” - que tem financiamento FAPERJ através do Programa Jovem Cientista do Nosso Estado - e é desenvolvida pelo grupo “Narrativas, memórias e atualização identitária em contextos educativos”, pertencente ao Laboratório Educação e Imagem , da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro do Programa de Pós-graduação em Educação (PROPEd/UERJ). Temos com ele o objetivo de desenvolver na Escola Municipal J. I Ana de Barros Câmara, situada Complexo de Acari - que abrange os bairros de Pavuna, Fazenda Botafogo e adjacências – um conjunto de oficinas pedagógicas e um trabalho de produção de vídeos de animação, cuja temática central gira em torno das relações raciais no Brasil e os processos identitários de afro-brasileiros. As educadoras da escola já vêm desenvolvendo um trabalho neste sentido e a viabilização deste projeto consiste na possibilidade de ampliação e sistematização do trabalho que já vem emergindo daquele cotidiano escolar. Os recursos financeiros oriundos do presente edital irão subsidiar a compra de equipamentos e outros materiais necessários para a produção dos vídeos; a implementação de oficinas de literatura e ainda a coordenação, orientação e organização do trabalho pedagógico por parte de nosso grupo de pesquisa. Nossa intenção é – no diálogo com as educadoras da escola – introduzir no currículo discussões sobre os processos identitários e o lugar das populações negras e mestiças na sociedade brasileira, a partir do trabalho com a literatura infantil, os vídeos de animação e as artes plásticas. Estaremos assim realizando aquilo que Milton Santos sugere em relação à produção de conhecimento sobre as relações raciais no Brasil. Segundo o pensador, essas pesquisas devem avançar da pura constatação do racismo para servir aos processos de reparação social dos danos causados por ele ao longo da história do Brasil. Para