O Programa > Docentes > Projetos de Lisandra Ogg Gomes           < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

A participação da infância na sociedade brasileira

PERÍODO:

2018 - 2020

LINHA DE PESQUISA

Infância, Juventude e Educação

GRUPO(S) DE PESQUISA

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ

A principal problemática desta pesquisa trata dos processos de socialização e das formas de participação da infância na sociedade brasileira. O propósito é conhecer, analisar e compreender as práticas, os discursos e as dinâmicas sociais que reconhecem as crianças como sujeitos de direitos e atores sociais. Os recentes estudos desenvolvidos nos campos da educação e da sociologia indicam que as configurações formadas entre as gerações conduziram à organização de espaços sociais próprios para as crianças, nos quais elas têm seus interesses e ações sociais revelados e legitimados. Cada vez mais, as crianças são reconhecidas como sujeitos de direito o que promove uma maior participação da categoria infância na sociedade. Isso porque as configurações de maior proximidade entre os sujeitos e o predomínio de um pensamento científico-interpretativo produziram um estatuto próprio para a infância e prescreveram os espaços dessa categoria. Ainda que esses espaços sejam, sobretudo, a família e a escola, as crianças estão, atuam e socializam-se nas diferentes instâncias sociais, como, por
exemplo, igreja, comunidade, rua, ambientes virtuais, etc., e interferem nas e reorganizam as dinâmicas, determinações e prescrições institucionais. A complexidade dessa participação está no fato de que se, por um lado, as transformações socioculturais reconhecem cada vez mais as crianças como sujeitos de direito e atores sociais, por outro lado, a infância precisa de proteção e provisão o que acaba por privar as crianças de uma maior participação. Portanto, conhecer as formas de participação e os modos de socialização das crianças, por meio das suas práticas, dos seus discursos e das suas dinâmicas com as instâncias sociais, contribui tanto para a compreensão das ações, funções e da posição dessa geração quanto para um entendimento das intervenções sociopolíticas na infância. Este estudo teórico sociológico-educacional recorre a dados de natureza qualitativa e quantitativa com o objetivo de mapear, comparar e compreender as formas de atuação das crianças na sociedade, e, assim, entender os impactos sociais, culturais, políticos e econômicos na infância