O Programa > Docentes > Projetos de Cátia Crivelenti de Figueiredo Walter               < Lattes >

TÍTULO DA PESQUISA

FORMAÇÃO INICIAL E CONTINUADA DE PROFESSORES EM COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA E ATIVIDADES FUNCIONAIS PARA PESSOAS COM DEFICIÊNCIA

PERÍODO:

2017 - 2020

LINHA DE PESQUISA

Educação Inclusiva e Processos Educacionais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Linguagem e comunicação da pessoa com deficiência

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ E-26/203.216/2015-2018 - PROGRAMA JOVEM CIENTISTA DO NOSSO ESTADO. PROCIÊNCIA - UERJ - 2017-2020

O objetivo do projeto é promover a formação inicial de alunos de Pedagogia e formação continuada aos professores da educação inclusiva quanto ao conhecimento e uso da Comunicação Alternativa e Ampliada (CAA), considerando os pressupostos teóricos do Currículo Funcional Natural (CFN), no contexto natural de ensino e também oferecer atendimento especializado aos alunos com deficiência e dificuldades severas de comunicação. Os pressupostos da ação educativa serão formados por meio da abordagem denominada Problematização, segundo a qual os conteúdos de ensino não são oferecidos aos professores e aos alunos em sua forma acabada, mas na forma de problemas extraídos da realidade, cujas relações devem ser descobertas e construídas pelos professores nas suas práticas regulares e os alunos na construção de novos conceitos, onde possam reorganizar o material, adaptando-o à sua estrutura cognitiva prévia, para descobrir relações, leis ou conceitos que precisarão assimilar e colocar em prática. O projeto contará com um grupo de 30 alunos de graduação em Pedagogia da Faculdade de Educação da UERJ; 5 professores de sala de AEE e 5 professores da rede regular pública. Também serão participantes os alunos com dificuldades comunicativas, incluídos no ensino regular da secretaria municipal de educação do município do Rio de Janeiro. Com a formação inicial dos alunos de Pedagogia espera-se: iniciar a preparação dos graduandos para atuarem com alunos com deficiência, principalmente os alunos com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), sem fala articulada funcional; desenvolver a habilidade de relatar observações do aluno com deficiência, por meio de estudo de caso; utilizar o estudo de caso para a elaboração do plano de intervenção especializada, que possibilitasse o desenvolvimento de estratégias adequadas ao desenvolvimento do aluno tanto no atendimento especializado quanto na escola. A formação objetivará também: estimular parcerias entre o aluno da graduação, o aluno com deficiência, a família, os profissionais da escola e da Saúde (quando for o caso) na construção do planejamento e na resolução dos problemas que surgirem na escolarização do aluno com deficiência, utilizando também a técnica da autoscopia para que possam observarem as próprias práticas e discuti-las em grupo. Espera-se que com a oportunidade dos alunos de graduação em Pedagogia em aprofundarem seus conhecimentos sobre as diferentes formas alternativas de comunicação, no programa PECS-Adaptado e adaptações pedagógicas e funcionais, baseadas no Currículo Funcional Natural (CFN) necessárias às pessoas com deficiência, possamos contribuir com o processo de inclusão social nas diferentes etapas da vida.

Palavras-chave: inclusão escolar, formação inicial e continuada, comunicação alternativa, currículo funcional natural, pessoas com deficiência, Transtorno do Espectro do Autismo.

    

TÍTULO DA PESQUISA

Suporte de Ajudas Técnicas às Ações Inclusivas no Ensino Superior – Rompendo Barreiras

PERÍODO:

2012 - 2013

LINHA DE PESQUISA

Educação Inclusiva e Processos Educacionais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Linguagem e comunicação da pessoa com deficiência

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ Proc. E-26/111.507/2012, contemplado pelo EDITAL FAPERJ: E_14 - APOIO A PROJETOS DE EXTENSÃO E PESQUISA - EXTPESQ – 2012. FAPERJ PROC. E.26/190.244/2013 – contemplado pelo EDITAL FAPERJ - Apoio ao Desenvolvimento das Tecnologia Assisitiva

O projeto possui três eixos norteadores: o da acessibilidade e garantia de permanência e aprendizagem ao alunado com algum tipo de deficiência na Universidade do Estado do Rio de Janeiro, o de formação dos graduandos de Pedagogia e Licenciaturas nas modalidades de ensino presencial e à distância com a perspectiva da Educação Inclusiva, e a formação continuada de profissionais envolvidos na área. A Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro oportunizará acesso aos nossos alunos que apresentam deficiências e necessidades especiais a equipamentos e ambientes adequados que permitirão maior qualidade no processo de ensino-aprendizagem. Além de formação qualificada aos graduandos da Faculdade de Educação e espaço de formação permanente de profissionais, promovendo encontros científicos que promoverão conhecimento teórico e aplicação prática. Deste modo, nosso objetivo é realizar novas ações do Núcleo de Suporte e Ajudas Técnicas às Ações Inclusivas no Ensino Superior da Faculdade de Educação da Universidade do Estado do Rio de Janeiro e garantir que formação inicial aos alunos de Pedagogia na perspectiva inclusiva e também poder oferecer aos alunos com deficiência da UERJ condições de acessibilidade de aprendizagem por meio do uso das Tecnologias Assistivas e futuras possibilidades de empregabilidade no mercado comum de trabalho.

    

TÍTULO DA PESQUISA

QUERO CONVERSAR COM VOCÊ: COMUNICAÇÃO ALTERNATIVA PARA ALUNOS COM AUTISMO NO CONTEXTO ESCOLAR

PERÍODO:

2011 - 2014

LINHA DE PESQUISA

Educação Inclusiva e Processos Educacionais

GRUPO(S) DE PESQUISA

Linguagem e comunicação da pessoa com deficiência

FINANCIAMENTO(S)

FAPERJ - E-26/110.106/2011 - APQ1 - Edital de Apoio e Melhorias de Ensino na Escola Pública

A inclusão e a escolarização de pessoas com autismo continuam sendo o grande desafio da Educação Inclusiva no Brasil. De acordo com a literatura, o uso dos recursos de Comunicação Alternativa e Ampliada (CAA) em crianças com autismo que não desenvolveram a fala funcional ou que apresentam dificuldades no processamento e compreensão da linguagem falada tem produzido resultados promissores. O PECS - “The Picture Exchange Communication System” foi desenvolvido para crianças com autismo e com déficit severo na comunicação oral. O sistema alternativo de comunicação consiste no intercâmbio de figuras como uma forma interativa de transmitir uma mensagem a alguém. Uma versão deste sistema proposta no Brasil, com modificações em suas fases e nas formas de registro, foi denominada de PECS-Adaptado. Estudos realizados com o PECS-Adaptado revelaram mudanças no comportamento comunicativo de crianças e adolescentes com autismo, como aquisição de vocabulário expressivo por meio do intercâmbio de figuras, aumento nas vocalizações, gestos e atitudes motoras com função comunicativa. O presente projeto tem como objetivos o planejamento, a implementação e a avaliação de um programa destinado a capacitar 40 professores da Rede Regular de Ensino do Município do Rio de Janeiro que atuam em salas de Atendimento Educacional Especializado para introduzir o uso do PECS-Adaptado junto a alunos classificados com Transtornos Globais do Desenvolvimento (TGD) sem fala funcional. Após a capacitação, os professores promoverão o uso do sistema PECS-Adaptado em 10 alunos com TGD, sem fala funcional e que estejam incluídos na rede regular pública do município do Rio de Janeiro. Ao final do projeto será confeccionado um manual de aplicação do PECS-Adaptado que poderá ser utilizado pelos familiares, professores e profissionais e em diferentes contextos: escola, família e comunidade.